terça-feira, 10 de julho de 2012

Paraná tem mais 207 casos de gripe A, mas nenhuma morte na última semana

O número de casos de gripe A (H1N1) aumentou 53% no Paraná em uma semana, mas nenhuma morte decorrente da doença foi registrada no Estado no período. Boletim divulgado nesta segunda-feira (9) pela Secretaria da Saúde mostra que 588 pessoas contraíram o H1N1 desde o início do ano, 207 somente na semana passada. Desde janeiro, foram 14 mortes em decorrência da doença.
De acordo com o boletim, 110 municípios registraram casos de gripe H1N1 neste ano. A maior parte dos casos foi identificada em Curitiba (112), Ponta Grossa (48), Pato Branco (46), Foz do Iguaçu (44) e Campo Mourão (20). A faixa etária com o maior número de casos (240) é a de pessoas entre 20 e 49 anos. Nessa faixa etária ocorreram nove das 14 mortes registradas até agora no Estado.
O boletim completo pode ser visto no site www.saúde.pr.gov.br.
“O vírus da gripe circula em todo o País, por isso é necessário estar atento aos sintomas e buscar atendimento médico caso haja suspeita da doença. Nosso principal objetivo é evitar mortes. Quanto mais rápido é o diagnóstico, menores as chances de agravamento da doença”, disse o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto.
O tratamento contra a gripe está disponível gratuitamente pelo SUS e é eficaz principalmente nas primeiras 48 horas após os primeiros sintomas. Em caso de suspeita de gripe, a pessoa deve ser encaminhada imediatamente a um serviço de saúde. O médico pode receitar o medicamento oseltamivir mesmo sem a confirmação laboratorial do vírus H1N1. O medicamento é indicado para tratar os tipos de gripe mais circulantes no país.
“Já distribuímos 112 mil tratamentos para todos os municípios do Estado. Nosso estoque ainda tem 130 mil tratamentos para outras remessas, caso haja necessidade”, disse o superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz.
O Ministério da Saúde repassou o oseltamivir em apresentações que só podiam ser utilizadas em adultos. O Paraná é o único Estado que fraciona o medicamento e mantém produção diária de 10 mil cápsulas para uso infantil, o que equivale a mil tratamentos. O fracionamento é realizado por uma farmácia de manipulação de Curitiba.
COMISSÃO – Nesta segunda-feira (9) foi realizada a segunda reunião da Comissão Estadual de Infectologia. Entidades médicas do Paraná apresentaram um documento que será enviado ao Ministério da Saúde reforçando a necessidade de a região Sul ter prioridade nas ações de enfrentamento à gripe. Em junho do ano passado, o Paraná, em conjunto com Rio Grande do Sul e Santa Catarina, solicitou uma estratégia de vacinação especial para a região, em razão das condições climáticas, que favorecem a circulação do vírus da gripe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários postados nesse espaço não são de autoria e nem responsabilidade do autor deste blog Se por acaso, você se sentir ofendido, mande um email para joaopacheco2210@hotmail.com que ele será removido. Esse espaço é democrático, aproveite para dar a sua opinião, sem ofender ninguém.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...